“Quem recebe vocês, recebe a mim; e quem me recebe, recebe aquele que me enviou.”(Mt 10,10)

A Pastoral da Acolhida é o primeiro passo para a evangelização; ela deve dar um clima de familiaridade para a nossa paróquia, através da real preocupação com os fiéis.

Esta Pastoral deve ser referência de amizade e acolhida fraterna aos que procuram a nossa comunidade.

O Ministério da Acolhida é um serviço da Igreja que se destina a receber bem e ir ao encontro dos irmãos; tem por objetivo integrar as pessoas à celebração da Santa Missa, na comunidade, na paróquia, na diocese, de modo que elas se tornem membros ativos do povo de Deus.

Os membros da Pastoral da Acolhida assumem o serviço de acolher as pessoas de forma constante e partilhada.

Entretanto, tal ministério não se resume ao grupo de pessoas que fica à porta da Igreja entregando folhetos; mas sim um grupo de pessoas que contribuem para a vida cristã e de toda a comunidade, no sentido de hospitalidade e acolhimento.

A espiritualidade do Ministro da Acolhida tem sua marca na prática concreta da acolhida e para isso ele deve:

  • Amar como Deus nos ama;
  • Ser e agir como se fosse hoje o próprio Jesus;
  • Alimentar-se do Pão da Palavra e da Eucaristia;
  • Reconhecer-se como servidor do Povo de Deus e, portanto, como construtor do Reino de Deus;
  • Dar razões e testemunho da própria esperança e da própria fé;
  • Manifestar vibração pela pessoa de Jesus, pela causa do Reino e pela vida da Igreja;
  • Ter profunda caridade apostólica, feita de atenção, ternura, compaixão e disponibilidade para com os irmãos e irmãs;
  • Ter tolerância e respeito pelas idéias diferentes das outras pessoas;
  • Alegrar-se com quem se alegra, sofrer com quem sofre;
  • Amar os pobres como os preferidos de Deus;
  • Valorizar as pessoas em sua individualidade (nome, necessidades, situação);
  • Ser cordial e hospitaleiro;
  • Não fazer distinção de pessoas, pois todos somos iguais e irmãos em Cristo;
  • Receber cada irmão e irmã como se recebesse o próprio Jesus;
  • Acolher as pessoas como se fosse o próprio Jesus que estivesse acolhendo alguém;
  • Seguir o exemplo da Virgem Maria, que acolheu em si a palavra do próprio Deus;
  • Imitar as irmãs Marta e Maria, que receberam Jesus em sua casa;
  • Ir em busca da ovelha desgarrada, da moeda perdida e do filho pródigo.

São importantes algumas características do Ministro da Acolhida:

  • O Ministro da Acolhida cultiva uma maneira criativa de acolher.
  • O Ministro da Acolhida é uma presença atenciosa e disponível, seja numa reunião ou celebração, seja no dia-a-dia da vida da comunidade.
  • O Ministro da Acolhida não espera, mas vai ao encontro das pessoas.
  • O Ministro da Acolhida exerce uma tarefa de caráter profético: seja para evitar e/ou contornar situações incômodas, seja para favorecer as pessoas um “clima familiar de acolhida” agradável de viver.
  • O Ministro da Acolhida não pode atuar sozinho e isolado. Ele precisa organizar a Equipe de Pastoral de Acolhida, em sua comunidade.

Assim, podemos concluir que o Ministério da Acolhida é responsável pela relação interpessoal na comunidade; é um trabalho de acolhimentos aos irmãos e irmãs, de modo a participarem dos propósitos de Deus.

Se você também quer ser um enviado de Deus, basta procurar os membros da Pastoral da Acolhida de nossa Comunidade e informar-se da data da próxima reunião, que acontecem no Salão da Capela Maria Imaculada, a cada dois meses.