Pastoral-do-Dízimo“Todos os dízimos da terra, tomados das sementes do solo ou dos frutos das árvores são propriedade do Senhor: é uma coisa consagrada ao Senhor” Lv. 27,30

A Bíblia nos traz diversas passagens que nos falam sobre o Dízimo. É através do Evangelho que Deus nos convida a confiar em sua divindade, a ser agradecidos, a contribuir na instauração de uma nova sociedade, para que haja partilha e comunhão de vens, e que não haja necessitados.

A palavra Dízimo é encontrada pela primeira em vez em Gênesis 14, 18-20 “Melquisedeque, rei de Salém e sacerdote de Deus Altíssimo, mandou trazer pão e vinho, e abençoou Abrão, dizendo:Bendito seja Deus Altíssimo que entregou os teus inimigos em duas mãos!” E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo”.

Você deve estar se perguntando: “Afinal o que é o Dízimo?”.

Dízimo é um ato de fé, de compromisso, de gratidão a Deus, do qual recebemos tudo o que temos. É através do Dízimo, devolvemos a Ele um pouco do que Dele recebemos.

Ao contribuirmos com o Dízimo manifestamos nosso amor a Deus e aos nossos irmãos mais necessitados; partilhamos os bens que nos é dado por Deus e que estão ao nosso dispor por vontade do Altíssimo.

Na vida de cada um dos cristãos o Dízimo assume diferentes expressões de amor, vez que devemos reconhecer os dons gratuitos que recebemos de Deus – vida, saúde, inteligência, e principalmente o imenso AMOR que Ele tem por cada um de nos.

Além disso, é através do Dízimo que manifesto de forma objetiva minha gratidão a Deus, retribuindo a Ele este sentimento em gesto concreto de amor através de meus irmãos, que mais necessitam de minha ajuda.

Desta feita, podemos afirmar que o Dízimo é uma contribuição voluntária, regular, periódica e proporcional aos rendimentos recebidos; é um compromisso de cada cristão de modo a colaborar com as obras de Deus.

Dízimo é agradecimento e partilha; NÃO é esmola, ofertório ou coleta. A contribuição do Dízimo não deve ser uma prática filantrópica, mas um gesto religioso de AMOR.

O Dízimo aponta em seu propósito quatro elementos, são eles:

  1. Para Deus: o Dízimo nos leva a reconhecer seu soberano domínio e os benefícios que vêem das mãos de Deus, que é o proprietário do mundo e daquilo que nos é dado;

  2. Para o próximo: move-nos à generosidade, à prática da caridade e, em muitos casos, a vivência da justiça; refere-se a uma pequena amostra de nossa generosidade que nos faz crescer por dentro, educa no amor e contribui para a verdadeira união entre os membros da comunidade;

  3. Para a criação: Leva-nos a nos mostrar livres ante as coisas materiais, como tenentes de Deus na criação; é um convite para caminharmos sem apegos e sem cair na escravidão do materialismo;

  4. Para nós mesmos: Move-nos a perceber os valores transcendentes e nossas expectativas de salvação, nos permite ver o irmão necessitado. Permite que nos afastemos do pecado insaciável da ganância.

É preciso destacar, ainda, que o Dízimo difere-se da Oferta, muito embora, ambos sejam frutos de nossa fé, nosso reconhecimento, de nossa gratidão a Deus, da nossa generosidade para com nossos irmãos.

Assim, podemos afirmar:

DÍZIMO: é devolver a Deus, com fidelidade, continuidade e felicidade, uma parte do que recebemos de Dele.

O Dízimo possui um destino certo: a Igreja de Jesus Cristo; a realização das obras de Deus, as quais não podem ser interrompidas por falta de recursos regulares.

OFERTA: é livre, não tem momento certo, depende da necessidade de quem solicita e da disponibilidade de quem oferece.

As ofertas destinam-se, geralmente, para a realização de obras complementares, ou ainda, para socorrer alguma emergência comunitária.

Sanadas as dúvidas sobre o que é o Dízimo, você deve ainda estar se perguntando: “Quanto ofertar?”

Embora a palavra dízimo signifique a décima parte, ou dez por cento, cada cristão deve definir, livremente, segundo os impulsos de seu coração o quanto deve destinar ao dízimo.

Por ser uma questão de generosidade, o dizimista deve ofertar a sua paróquia com AMOR, sem, contudo, preocupar-se com a quantia propriamente dita. Entretanto, deve assumir o compromisso de contribuir com o dízimo de forma contínua, o ideal é que o Dízimo seja oferecido mensalmente, de modo a permitir que a comunidade organize-se prevendo as entradas de cada mês, e dê andamento das obras de Deus.

Para que haja uma boa organização do Dízimo, a Capela Maria Imaculada conta com a Pastoral do Dízimo, a qual tem a missão de conscientizar os membros da comunidade sobre sua responsabilidade de ofertar o Dízimo.

Além do papel preponderante de conscientizar os fiéis na contribuição do Dízimo, a Pastoral do Dízimo tem como atividade:

  • Mostrar que o Dízimo é um ato de fé, esperança e caridade;

  • Testemunhar a alegria de uma vida com Deus, através da oferta mensal do Dízimo;

  • Apresentar o Dízimo como condição central da experiência de comunhão e participação e, portanto, da experiência de ser e agir como Igreja;

  • Convidar os dizimistas a participar da vida da comunidade;

  • Prestar contas do destino das contribuições ofertadas;

  • Dentre outras.

Sinta-se tocado por este gesto de Amor e INSCREVA-SE como DIZIMISTA, basta procurar a Secretaria da Capela Maria Imaculada, de segunda-feira a sexta-feira; ou nos plantões, que acontecem antes e depois das missas.

Você DIZIMISTA de nossa Comunidade que suspendeu a sua contribuição, renove a sua aliança de gratidão com Deus; olhe para frente, recomece a partir de agora.